Notícias

NETWORK É FEITO POR PESSOAS


03 Ago 2015

Por Revista Desenvolve SP - 3ª edição - Pág. 38

Sempre que sou convidada a falar sobre network e relacionamento, a primeira coisa que me vem à cabeça é o mito que a maioria tem de que é complicado se relacionar com pessoas. Em minhas palestras e contatos, todos me pedem dicas sobre isso. Eu não acho difícil nem acredito que esse deva ser um obstáculo para as pessoas. Geralmente o que existe é um grande problema de comunicação. É necessária uma reeducação para tornar a comunicação clara, objetiva e veloz.

Grande parte dos problemas de relacionamento é gerada pelo simples fato de um não entender o que o outro está querendo dizer, pois este não foi claro o suficiente, ainda mais quando são utilizadas ferramentas tecnológicas que têm como objetivo agilizar essa comunicação. É que, se forem mal aplicadas, elas causam o oposto: uma sucessão de confusões.

Quando assumi a superintendência do Magazine Luiza, em 1991, entendi que era necessário modernizar e agilizar a comunicação da equipe. Por isso, numa atitude ousada para a época, derrubei todas as paredes do escritório, e passamos a trabalhar todos no mesmo ambiente. Incentivei a comunicação olhos nos olhos, e paramos de emitir os chamados, na época, CI – Comunicado Interno. As pessoas saíam de sua mesa para falar com seu colega e resolver, de maneira mais rápida e prática, os problemas e questões.

Cito esse relacionamento interno como forma de ilustrar o conceito de que o network é uma relação clara e transparente de pessoas, e deve envolver todos os públicos. Acredito em um relacionamento que tenha como princípio o que chamo de “ganha-ganha”. Não existe um network verdadeiro se um dos lados tiver o objetivo de sair ganhando sozinho, levar vantagem sobre o outro. Essa era já passou, estamos em um momento de ética nos relacionamentos e transparência nos negócios.

Nesta era de network temos de pensar em relacionamento com todos os públicos possíveis, por isso estamos sempre reunindo todos os mais de 1.300 líderes da empresa para trocar ideias e entender como nos comunicar com nossos clientes – que estão cada vez mais conectados, mas não abrem mão de um relacionamento personalizado, eficiente e veloz, na plataforma em que estiverem.

Por isso, a única área operacional ligada à presidência da empresa é o SAC. Estou atenta a tudo que acontece neste que é o principal canal de relacionamento de qualquer empresa. Investimos bastante nesse setor, que acredito deva ser próprio, e não terceirizado, pois ele aponta falhas que devem ser corrigidas rapidamente pela empresa e tem a tarefa primordial de recuperar os clientes que, por qualquer motivo, tiveram algum tipo de problema.

Costumo dizer que somente duas características vão diferenciar o profissional: a inovação e a criatividade. O network também deve ser praticado utilizando os dois, e o ponto de convergência de tudo isso, que gera o relacionamento, são as pessoas. Por isso, invista sempre em pessoas.

 

Luiza Helena Trajano é formada em Direito e Administração de Empresas, é presidente do Magazine Luiza e do IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo)