Notícias

Onde estão as melhores oportunidades para empreender em 2015

Estadão PME | Blog do empreendedor - 17/10/2014
17 Out 2014

Por Marcelo Nakagawa, professor de empreendedorismo do Insper

“Você precisa acertar só uma vez” – disse certa vez Drew Houston. E foi isto que ele fez. Em uma viagem de Boston para Nova York em dezembro de 2006, ele ficou chateado pois tinha esquecido seu pendrive em seu apartamento e não poderia avançar no documento que estava trabalhando. Se existisse uma forma de pendrive virtual, que pudesse ser acessado de qualquer lugar, não estaria passando por isto – pensou. Naquela mesma viagem começou a programar a tal solução que chamou de dropbox. Como estava sozinho no negócio, colocou na cabeça que sua startup deveria ser apoiada por Paul Graham, um empreendedor que ficou milionário ao vender sua empresa ao Yahoo, e que havia criado um negócio chamado Y Combinator, que acelerava o crescimento de startups. E Drew estava 100% correto. Só foi preciso acertar uma vez. No início de 2014, o Dropbox já valia US$ 10 bilhões.

Mas Paul Graham deve discordar do seu empreendedor. Afinal, ele transformou a YCombinator no exemplo de maior sucesso na criação de startups de todos os tempos. Juntas, sua participação nas empresas que ajudou a acelerar como a Dropbox, AirBnB, Reddit, Stripe e Homejoy vale mais de US$ 30 bilhões.

Por isso, quando Graham explica onde acha que estão as oportunidades para novas startups, o mundo (pelo menos do empreendedorismo) para, analisa e começa a empreender. No mês passado, a YCombinator soltou um “Request for Startups” em que apresentava uma lista de áreas que acredita serem muito promissoras em 2015.

Será que sua ideia de negócio não se enquadra em algum item da lista? Veja abaixo:

- Energia: Será que não há formas de geração e armazenamento mais baratas e eficientes?

- Inteligência artificial: Onde estão as soluções de inteligência artificial realmente inteligentes?

- Robôs: Não é uma pergunta. É uma afirmação. Haverá cada vez mais coisas feitas de forma automatizada no mundo físico!

- Biotecnologia: Parece que a biotecnologia está no mesmo momento dos microcomputadores na década de 1970…

- Saúde: 20% do PIB dos Estados Unidos é gasto em saúde. Isto é insustentável. Há muita coisa errada e por isso, muita oportunidade.

- Fármacos: Há outras soluções que não precisam ser prescritas e ainda assim ajudar as pessoas.

- Alimentos e água: Em algum momento, teremos problemas com a disponibilidade de alimentos e água. Não é Sabesp?

- Educação: Se ajudarmos a educação, ajudaremos todos os demais itens desta lista.

- Infraestrutura de internet: É possível imaginar uma vida com menos internet? Não! E com mais? Muito mais?

- Governo: São clientes muito grandes com softwares muitos ruins…

- Aumento da capacidade humana: Biotecnologia, automação, software para seres humanos mais inteligentes, mais longevos, mais felizes, melhores!

- Realidade virtual: Ou alguém duvida que haverá mais pessoas fugindo da realidade “real”?

- Pesquisa básica: Novos modelos de negócios que privilegiem mais pesquisa básica e menos paper, paper, paper.

- Transporte e moradia: Melhores formas das pessoas viverem bem, trabalharem juntas e se deslocarem menos.

- Um milhão de empregos: Empresas com potencial para criar um milhão de empregos. Só não vem competir com o bolsa-família…

- Ferramentas de programação: Tudo tem cada vez mais códigos que demandará melhores formas de gera-los, mantê-los, melhorá-los.

- Hollywood 2.0: Novos talentos e celebridades todos os dias, em todos os lugares para todos os públicos. E beijinho no ombro!

- Diversidade: A diversidade é boa para os negócios e boa para o mundo. E ponto!

- Países em desenvolvimento: Países em desenvolvimento como China, Índia e nações do sudeste asiático estão crescendo mais rapidamente do que os Estados Unidos. Ni Hao Brasil!

- Software empresarial: Ainda dá muito dinheiro!

- Serviços financeiros: Continua muito difícil poupar ou investir seu (cada vez mais pobre) dinheirinho. Se é difícil, dá para melhorar.

- Telecomunicações: Todas as pessoas se comunicam mais, mas se comunicam melhor?

E se sua ideia de negócio não está nesta lista, você não precisa acreditar no Paul Graham. Só precisa acertar uma vez!

Assuntos relacionados: