Notícias

Sebrae e Campus Party apontam 200 startups promissoras

Exame.com | PME - 03/02/2015
03 Fev 2015

Startups serão as grandes atrações da edição 2015 da Startup & Makers Camp, que acontece durante a Campus Party de 4 a 7 de fevereiro

Da Agência Sebrae de Notícias

Brasília - O Sebrae e a Campus Party identificaram, a partir de um universo de mais de 600 startups de todo o país e nas mais diferentes áreas de atuação, 200 empresas com grande potencial para conquistar o mercado em 2015.

A seleção adotou como critério o nível de desenvolvimento do modelo de negócio, a qualificação da equipe, a qualidade dos produtos e serviços e o volume de potenciais consumidores.

Essas empresas serão as grandes atrações da edição 2015 da Startup & Makers Camp, que acontece durante a Campus Party de 4 a 7 de fevereiro, em São Paulo.

Os melhores negócios que prometem acontecer em 2015 representam as cinco regiões brasileiras e envolvem o trabalho de mais de 900 pessoas, entre funcionários e sócios.

“A maior concentração dessas startups está em São Paulo, com quase metade das selecionadas, Rio de Janeiro (9%) e Minas Gerais (8,5%). Elas criaram inovações nos mais diversos segmentos, principalmente nas áreas de varejo e e-commerce, educação, comunicação e mídia, TIC e Telecom, finanças e entretenimento”, informa o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

Além da oportunidade de contatos, os empreendedores terão acesso à orientação de consultores e 48 horas de palestras e workshops promovidos pelo Sebrae em parceria com a Associação Brasileira de Startups.

O Startup & Makers, que é realizada pela terceira vez no Brasil, tem o objetivo de apoiar os empreendedores que estão começando ou em fase de consolidação, oferecendo a oportunidade de interação, conhecimento, exposição na mídia e contato com outras empresas e investidores.

Além disso, este ano, o espaço será integrado com a Arena para que esses empresários encontrem parceiros e colaboradores entre os oito mil campuseiros e possam participar de todo o conteúdo da Campus Party.

As startups também contarão com um espaço físico para apresentar seu negócio para possíveis clientes e visitantes.

A proposta é que empresários, campuseiros, aceleradoras, investidores, entusiastas e visitantes se unam para compartilhar conhecimento e experiências, desenvolvendo assim os negócios inovadores.

Durante o evento, as empresas ganharão prêmios e a possibilidade de demonstrar seus produtos e serviços para aceleradoras, fundos de investimentos e investidores anjo.

Startups Selecionadas

Desde que participou do Startup & Makers Camp, no ano passado, a Let´s Park, que desenvolveu um aplicativo colaborativo para encontrar estacionamentos, passou por uma transformação radical.

De uma empresa em estágio embrionário, que ainda procurava validar seus projetos, a Let`s Park já soma 2,5 mil estacionamentos cadastrados apenas na capital paulista e fechou parceiras com gigantes como a montadora Ford.

De quebra, ainda atraiu o interesse da aceleradora Triple Seven que, além do aporte de capital, também está participando ativamente do desenvolvimento da startup.

Letícia Passelli, diretora de Marketing e uma das sócias da empresa, conta que a ideia de desenvolver o aplicativo surgiu em 2013, após ter gasto um alto valor em um estacionamento na capital paulista e, pouco depois de tirar o carro do local, descobrir outro ao lado que cobrava um preço bem mais acessível.

Com um mapa baseado em Google Maps, o usuário pode checar onde há um lugar próximo em que ele possa parar o carro. Ao clicar no ícone do estacionamento, podem ser acessadas informações como se o local é coberto, se tem seguro, tabela de preços, descontos, etc.

O próprio usuário pode cadastrar um estabelecimento, de preferência fornecendo informações básicas como preços e horários. “A maioria dos estacionamentos cadastrados é de São Paulo, mas já há estabelecimentos em todos os estados brasileiros e até de outros países, como Japão, EUA, Canadá, Reino Unido e Austrália”, conta Letícia, de 24 anos.

A Campus Party será o grande teste para a Networkr, uma rede social de networking desenvolvida para ajudar os profissionais a conhecer pessoas relevantes em eventos, e que está em fase de desenvolvimento.

“Quando soubemos que fomos escolhidos para participar do Startup Makers & Camp decidimos acelerar o processo de desenvolvimento para poder apresentar e utilizar o sistema no evento” conta um dos sócios da Networkr, Márcio Nóbrega, de 35 anos.

Em novembro último, Nóbrega deixou seu emprego em uma grande empresa para se dedicar integralmente à modelagem do novo negócio que, segundo ele, não tem paralelo no Brasil.

A ideia de desenvolver o negócio veio da própria insatisfação de Nóbrega e de seu sócio Daniel Bonato de participarem de grandes eventos corporativos em que o que network ficou muito abaixo das expectativas.

“Por falta de informação, tivemos dificuldade em conhecer profissionais de áreas que nos interessavam. Procuramos desenvolver uma ferramenta para ajudar as pessoas a estabelecerem contato e, claro, gerar negócios”, explica o empreendedor, que mora em Bauru, no interior paulista.

Sócio de uma agência de publicidade, o paulistano Tiago Mateus, de 29 anos, percebeu que era cada vez maior o número de empresas interessadas em contratar celebridades para participar de campanhas com foco nas redes sociais.

A partir dessa demanda, ele resolveu criar em novembro passado a Inflr, um serviço que permite ao usuário usar a sua “influência” nas redes sociais para ganhar dinheiro ou produtos de empresas interessadas em divulgar suas ações.

No caso de campanhas com celebridades propriamente ditas, o trabalho da Infr é feito diretamente com as agências e empresas e com os assessores dos famosos.

Mesmo com pouco tempo de mercado, o jovem empreendedor já contabiliza 1.800 cadastrados no site da Inflr, muitos dos quais conquistados por um trabalho realizado por ele mesmo nas redes, como em perfis do Instagram.

O empreendedor lembra que há muita gente nas redes sociais com muito mais popularidade do que artistas de TV.

“O conceito de celebridade nas redes sociais é totalmente diferente. Existem perfis de gente conhecida somente na internet que somam milhares de seguidores”, acrescenta.

Mateus já está conversando com alguns investidores interessados em realizar aportes na empresa.

A startup foi selecionada como iniciante e, para ele, a participação no Startup & Makers Camp também pode ser uma oportunidade de atrair o capital necessário para desenvolver novos projetos.

 

Leia mais em: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/sebrae-e-campus-party-apontam-200-startups-promissoras

Assuntos relacionados: